PASSAGENS POR PARIS.

Por Brenda Divino.

.20140823_150323[1]     

A exposição Passagens por Paris – arte moderna na capital do século XIX, propõe fazer uma viagem a capital francesa entre 1866 e 1948 com 51 obras-primas dos mais importantes artistas do período: Manet, Degas, Cézanne, Gauguin, Van Gogh, Matisse, Renoir, Toulouse-Lautrec, Picasso, entre outros.  A exposição dá aos visitantes a oportunidade de apreciar algumas das obras mais representativas desse período, traz o nascimento do moderno, com o abandono do academicismo dominante, e a chegada do contemporâneo, do abstrato.

O título da mostra inspira-se em uma citação de Walter Benjamin em seu ensaio Paris, capital do século XIX. Nele aparece a célebre menção às passagens, galerias comerciais levando de uma rua a outra, cheias de lojas atraentes, cenário singular da vida moderna, parte do mito da Cidade Luz. Os artistas aqui incluídos viveram, produziram, passaram por Paris, cidade criativa antes mesmo que o termo existisse. A força dessa arte em 1920 deu a expressão Escola de Paris que veio a designar, mal ou bem, a arte imediatamente anterior e aquela logo posterior feita nessa cidade.

A arte aqui mostrada não penetrou na parte obscura do período mais foi amplo o suficiente para mostrar o que Benjamin chamava de aura, a presença hoje, na obra, do que está distante de nós mas que, por sua força, permite à arte apoderar-se de nós, num convite a que cada um se entregue ao outro lado do medo que é a beleza.

 

  20140823_145146[1]   20140823_145208[1]   

   20140823_145536[1]  20140823_145547[1] 

O tempo já é dos objetos, a sociedade do consumo que se iniciara no final do século XIX começa a instalar-se para ficar. 

  20140823_150423[1]   20140823_150433[1]                                                                    20140823_150614[1]  Monticelli, Adolphe Joseph Thomas (1880 – 1884). Marinha Perto de Marselha (Aldeia Fantástica) Marine Near Marseille ( Village Fantastic). ” Em 1930 Walter Benjamin publicou um livro de contos onde narra como um pintor, talvez ele mesmo, passeia por Marselha no quente mês de julho e encontra pessoas sonolentas cuja melancolia na arte das ultimas décadas do século XIX.”

 20140823_145348[1]   20140823_150349[1]

 

Quanto: R$ 15,00 inteira, meia entrada R$ 7,00 (Toda terça-feira a entrada no MASP é gratuita a todos os visitantes.)

 Quando: Terças, Quartas, Sábados e Domingos das 10h às 18H (bilheteria aberta até 17h30)

Quinta-feira: das 10h às 20h ( bilheteria até 19h30).

Onde: MASP – Museo de Arte de São Paulo

Avenida Paulista, 1578, Bela Vista – Centro.  2º andar do MASP, Galeria Georges Wildenstein.                                          

Até quando: Desde 07 de dezembro de 2013, sem previsão de encerramento.

Links relacionadoshttp://www.masp.art.br 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s