VÂNIA MIGNONE. CENÁRIOS.

Por Letícia Gonçalves

 

10689938_10152709996028894_5355046633402661686_n

 

Vânia Mignone, brasileira, que nasceu em Campinas SP, celebra seus vinte anos de carreira, expondo ao público sua produção mais recente- Vânia Mignone. Cenários.- no Museu de Arte Contemporânea (MAC USP), onde a artista conta, através das 58 obras expostas, sua trajetória desde o início da carreira até a atualidade.

Em suas obras, há uma mistura de elementos da cidade, de referências cotidianas (um pouco fantasiosas), personagens de circo, animais, ambientes da casa, cenas de filme, entre outros. As composições são feitas com letras na superfície, que também podem ser colagens, pinturas sobre colagens, gravuras, juntas com objetos, ou até mesmo, a combinação de todos esses meios. Porém, nenhuma delas possui um significado, nos mostrando um outro mundo, onde as obras são como um enigma para todos os visitantes da exposição.

A maioria das pinturas de Vânia nos mostram uma iconografia (uma forma de linguagem visual que utiliza imagens para representar um tema), da cultura de massa e da cultura popular, algumas representadas em xilogravura e outas que nos fazem lembrar de outdoors publicitários, cenas de filme ou do circo.

10649665_10152709994973894_2342088019399300884_n 14274_10152709994728894_6089169623209131512_n995081_10152709994898894_8080953013117682045_n

 

Frases soltas como: “Que bom que estamos vivos”, “Abismos Noturnos”, “Janeiro infinito”, “Você lá em casa”, “Quando estivermos sozinhos”, “Seu teatro”.

seuteatro10646891_10152709995118894_5918956358249861760_n 10612640_10152709996813894_245527605216339107_n 10406927_10152709995308894_6601766677586186093_n 10425071_10152709995218894_4757756683016595100_n 10653789_10152709995583894_3757707288055089217_n

 

Como disse Ana Magalhães (curadora da exposição), “Para ela, a pintura é uma continuação do desenho, da gravura e da colagem, por vezes combinando todos esses meios. Em seus trabalhos, enfatizou a crueza e precariedade dos materiais ao trabalhar com placas de MDF e montar suas composições como peças de um tabuleiro.”

10614319_10152709996408894_1808268465490116107_n 10626533_10152709995413894_2868201887812531783_n 10626614_10152709995348894_9004354155846459596_n 10639581_10152709996248894_2266205952306247945_n 10641003_10152709996538894_2681962672509398068_n 10556526_10152709995648894_6144411517641168107_n 10603551_10152709995763894_6636079737485685754_n 10610719_10152709995833894_1338570207860843453_n

 

– Quanto: entrada gratuita

– QuandoTerça das 10 às 21h, Quarta a domingo, 10 às 18 horas, Segundas: fechado

– Onde: Museu de Arte Contemporânea da USP (Av. Pedro Álvares Cabral, 1301 – Ibirapuera | São Paulo – SP)

– Até quando30/11/2014 

– Links relacionados:

 http://www.mac.usp.br/mac/

 http://www.mac.usp.br/mac/EXPOSIçOES/2014/vaniamignone/home.htm

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s